powered_by.png, 1 kB
INÍCIO seta MENSAGENS seta VINHO NOVO EM ODRES NOVOS
VINHO NOVO EM ODRES NOVOS PDF Imprimir e-mail

Mateus 9:16-17
Nesta passagem podemos tirar diversos ensinamentos, como p. ex. a forma de como devemos lidar com os novos convertidos, mas gostaria de falar desta passagem numa outra perspectiva, que entendo está mais de acordo com o que diz realmente o texto.

O N. T. está cheio de ensino dizendo que o homem é por natureza pecador, estando condenado ao inferno, e que só poderá escapar arrependendo-se dos seus pecados nascendo de novo, que significa o mesmo que ser feito nova criatura, ou também chamada de “Regeneração.”
O Senhor Jesus disse isto muitas vezes, quer às multidões ou a pessoas em particular, como a Nicodemos ou à mulher Samaritana.

A Bíblia diz que quanto a esta necessidade não há excepções, mas que todos precisam arrepender-se converter-se. Sejam os mais moralistas ou os religiosos, sejam aqueles que são imorais, amorais, ou mesmo incrédulos.

Apesar disto ser bem claro nas Escrituras, a maioria das pessoas não consegue entender o ensino da Bíblia e procura alcançar uma salvação á sua maneira, ou à maneira do que lhes é ensinado pelas religiões e não como ensina a Bíblia.

As pessoas e as religiões que não se contentam com o ensino Bíblico, tentam unir as obras, quer sejam da Lei ou não, com o evangelho da graça de Deus, que é bem explicito e diz que ninguém poderá ser salvo a não ser por meio da fé no Senhor Jesus e nada mais que isso.

Por isso é que o Senhor Jesus para as pessoas do seu tempo e para nós hoje, usa esta mesma parábola acerca de odres velhos e odres novos, vinho velho e vinho novo, pano velho e pano novo.

Para nós hoje, isto significa que devemos pregar o evangelho da Graça, também conhecido por evangelho da nova Aliança,  sem  fazermos  misturas entre este evangelho    e a antiga Lei e as velhas tradições, pois que o evangelho da Graça é incompatível com a velha Aliança e as velhas tradições.

Do mesmo modo que o vinho novo deve ser colocado em odres novos e não se deve remendar pano velho com pano novo, só é possível alguém ser salvo se nascer de novo.

Não adianta procurar e tentar ser salvo através da Lei, das boas obras, da boa moral, dos sacrifícios, orações, jejuns, esmolas, etc. etc. porque isso é o mesmo que procurar unir o velho com o novo, e espiritualmente falando o velho e o novo também não é para misturar.

Quando alguém aceita esta nova mensagem    do evangelho, crendo que Jesus morreu para o livrar da perdição, Deus diz em Sua palavra que essa pessoa é feita uma nova criatura.

Então, aplicando esta parábola, essa pessoa está pronta a receber o vinho novo que é símbolo da salvação.

Enquanto alguém não passar por esta experiencia do novo nascimento, passando a ser uma nova criatura, não poderá sentir-se salvo e perdoado por Deus.

Deus quer fazer tudo novo, não aceitando nada do que é velho.

O homem que decide seguir a Jesus, tem de deixar tudo para trás. Seus pecados, sua vida velha com seus vícios, terá de inverter a direcção em que seguia antes, e  buscar agora o que é de Deus.

Terá de fazer o que Jesus disse: “negar-se a si mesmo, tomar cada dia a sua própria cruz, e segui-lO”.

O N. T. fala algumas vezes em cruz e em fardo. A cruz e fardo não são a mesma coisa.
Os homens enquanto não recebem Jesus como Salvador, carregam um fardo. Este fardo como explica o N.T. são os seus pecados e as ordenanças da Lei (Mt. 24:3) que a religião lhes impõe, como sucedia com os fariseus no tempo de Jesus.

Por esta razão é que o Senhor Jesus disse certa vez: “vinde a mim, todos que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei, tomai sobre vós o meu jugo, aprendei de mim que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.”
O evangelho de Cristo ao contrário da religião, não consiste em nos dar um fardo para carregarmos, de que fazem parte uma extensa lista de preceitos e ordenanças para obedecermos, em que se assim fizermos, Ele então nos salva.

Nada do que nós façamos pode contribuir para nos salvar, porque ninguém é digno de ser salvo pelas suas obras ou méritos, porque tudo que fazemos está manchado com a marca do pecado, e Deus não pode receber nada que esteja contaminado pelo pecado.

Para que sejamos salvos é necessário sermos feitos NOVAS CRIATURAS, para isso como diz a palavra de Deus, precisamos estar em Cristo.

A única coisa que Jesus disse que é preciso para o seguirmos, é o de tomarmos a cada dia a nossa cruz.

Cruz não é o que muitos pensam; nossas doenças, um mau marido ou esposa, filhos desobedientes e rebeldes, má vizinhança, inimigos, sermos perseguidos, etc. etc.

Cruz na Bíblia é sinónimo de maldição. Tomar a cruz significa estarmos prontos por amor a Cristo a sermos desprezados, humilhados e amaldiçoados por este mundo, o que sempre acontece a quem decide seguir Jesus. Para muitos ainda hoje fazer esta escolha, representa serem mortos, presos e espoliados dos seus bens e direitos.

Existe a ideia entre muitos até dentro da igreja, de que o evangelho da Graça precisa de ter à mistura alguns preceitos da Velha Aliança (Lei). Desde o tempo do apóstolo Paulo que era assim, e hoje alguns continuam a pensar da mesma forma.
Existem aqueles que ainda fazem diferença entre dias, meses e anos, que proíbem alimentos, ensinam o dízimo, que se aplicam ao jejum regularmente, como a tantos outros tipos de coisas que não fazem parte do evangelho da Graça, mas são coisas do passado.

A estes o apóstolo Paulo dizia que não são estas coisas que nos fazem agradáveis a Deus, mas, sim, o ser uma nova criatura. (Gl. 6:15)

Ser uma nova criatura é a única coisa exigida para que alguém  possa agradar a Deus. Tudo o resto que é da Lei, tradição, ritualismo e cerimonial, fazem parte das coisas velhas, que não devem ser misturadas com o que é novo.
Acerca de tudo isto o escritor aos Hebreus no cap. 8:13 diz: “a nova Aliança, envelheceu a antiga, ora, o que ficou velho, perto está de acabar”

O evangelho que devemos pregar hoje não pode ensinar (como alguns fazem) que basta que as pessoas se tornem melhores, sigam o seu caminho como até aqui, que isso chega.

Isto a maior das mentiras. Não chega deitar um remendo.
Em II Cor. 5:17 diz que aquele que está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.

A palavra “TUDO SE FEZ NOVO”, significa que não se trata de fazermos uma reforma em nossa vida, um melhoramento no nosso carácter, mas fala de algo que é completamente novo.
Por esta razão foi que o Senhor Jesus na sua conversa com Nicodemos, lhe disse que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

Caso alguém não saiba ainda o que significa nascer de novo, gostaria de ajudar essa pessoa a compreender o que isso significa em linguagem bíblica.

Quando alguém vai num barco e acontece ele virar e essa pessoa fica na água prestes a afogar, é normal que essa pessoa tenha o maior interesse em saber o que pode fazer, para se salvar de morrer afogada.

Ela quererá saber ao que pode agarrar-se, se deve nadar e em que direcção, etc. etc.
Se alguém ainda precisa nascer de novo, convém que também deseje saber o que deverá fazer para salvar a sua alma do inferno. (espero que assim seja)

Que fazer para nascer de novo?

Será que é preciso passar noites em oração? Fazer vários dias jejum? Fazer uma grande peregrinação? Maltratar o corpo? Ir à igreja 1 ano seguido sem faltar? Etc.etc.

Em conversa com Nicodemos Jesus disse-lhe que para se nascer de novo, isso vem do alto, fazendo-lhe entender que se trata de um acto de Deus.
Em resposta à pergunta o que podemos fazer para nascer de novo, vou dizer-vos algo que poderá confundir-vos, mas espero que possam entender o que quero dizer.

Nada se pode fazer para se nascer de novo, é Deus quem faz esse milagre.

Pensemos uns segundos sobre o nosso nascimento no dia em que nossa mãe nos trouxe a este mundo. O que fizemos nós para causar o nosso nascimento?

Absolutamente nada. Estão de acordo?

De todos que vieram a este mundo, nenhum deles terá de fazer o que quer que seja para nascer.
O mesmo principio se aplica a quem nasce de novo espiritualmente. Este princípio está plenamente ensinado em João 1:13 em que diz, que “os filhos de Deus não nasceram da vontade do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”

Por esta razão é que o novo nascimento não tem intervenção humana, mas é algo que depende apenas de Deus, é isto que o versículo quer dizer.

Diante disto que resta ao homem para nascer de novo?    

Simplesmente isto: Reconhecer diante de Deus que se encontra perdido e que tem necessidade de ser salvo.

Reconhecer que só Deus pode fazer dele uma nova criatura, e isto por meio do Senhor Jesus que veio ao mundo para isso mesmo; para buscar e salvar o que se encontrava perdido.

Se alguém reconhece estar perdido e deseja ser salvo, e crê nestas verdades, deve ir à presença de Deus em oração, pedindo perdão para os seus pecados e pedindo a Deus a salvação da sua alma.

Se o fizer em sinceridade e com fé no seu coração, poderá ter a certeza de que está salvo nesse mesmo instante, sem precisar fazer mais nada.

Que Deus ajude alguém que ainda não fez isto, a faze-lo, porque é imprudente deixar algo tão importante para mais tarde, pois o logo ou o amanhã não nos pertence e se alguém morrer antes de o fazer, não poderá faze-lo mais.
Deus abençoe todos nós.

Carlos A. Oliveira
Agosto 2010
 
© 2007 Igreja Evangélica em Algeriz