powered_by.png, 1 kB
INÍCIO seta MENSAGENS seta PERSEVERANÇA NA ORAÇÃO
PERSEVERANÇA NA ORAÇÃO PDF Imprimir e-mail

É muito habitual falarmos sobre as vitórias que se conseguem pela oração, de que a oração é uma arma invencível… porém, isso muitas vezes é desmentido pela nossa experiencia.
Quando passamos por provações e oramos pedindo ajuda ao Senhor, Ele nos deu imediatamente forças para superar a provação? Por vezes sim; mas tem sido sempre assim?

Quando temos tido falta de dinheiro para coisas essenciais e oramos por ajuda do Senhor, Ele nos mandou alguém com 1 cheque? Poderá já ter acontecido, mas muitas vezes isso não se passa assim.

Quando nos faltou a saúde, oramos e o Senhor nos curou logo a seguir? Também poderá ter acontecido algumas vezes, mas outras vezes não tem sido assim. Talvez até tenhamos uma doença que seja da vontade de Deus, nos vá acompanhar até à morte.
Sabemos que há filhos de Deus que neste mundo passam fome e necessidades de toda a ordem, que apesar das suas orações a sua situação  por vezes se mantém a vida inteira.

Em Mateus 6:25 o Senhor Jesus fala do cuidado que Deus tem pelas aves do céu e pelos lírios do campo. Se O pai cuida assim das aves e dos lírios, como não cuidará dos seus filhos?

Perante as injustiças, misérias e mortes neste mundo, então alguns se perguntam: onde está a providência divina. Muitos põe em causa a existência de Deus, dizendo que a fé pertence ao passado e que não passa de superstição. Outros ficam na dúvida e perplexos, pensando assim: “porque Deus não responde às orações, ou porque demora tanto?

O Senhor Jesus contou 2 parábolas acerca da oração, mostrando o valor e a necessidade da perseverança na oração por parte de  quem ora. Lucas 11:5-13 / 18:1-8

Estas parábolas além de outras lições, mostram-nos que quando oramos devemos estar preparados para aceitar a vontade de Deus e os Seus propósitos.


Hebreus 11:33-39 Estes 7 versos resumem aquilo que nós encontramos em toda a Bíblia, como também o que lá não está escrito, mas que se passa hoje, e vai continuar a passar-se em todos os tempos.

Temos aqui o relato de muitos heróis da fé, a quem lhes foi concedido sair vitoriosos sobres grandes provações e obstáculos. Por outro lado, fala de muitos outros que foram presos, torturados e mortos, etc.

Isso está claramente explicito no início da igreja primitiva e relatado no livro de Actos (cap.12). Enquanto Pedro é tirado da prisão milagrosamente por um anjo, Tiago é morto à espada, como muitos outros foram mortos começando por Estêvão.

Apesar de lermos isto quando diante de alguma provação tivermos orado, e a resposta do Senhor parece demorar, não é razão para que fiquemos resignados e deixemos de perseverar, porque Deus tem o Seu tempo e nós não conhecendo o Seu tempo, somos ensinados a combater em oração.

A palavra de Deus nos diz que Ele nos promete socorrer. Não diz que o faz imediatamente logo após orarmos, mas muitas vezes Ele prova a nossa fé e se o nosso desejo sobre o que pedimos é sincero.

Há coisas que apesar de Deus ter poder para as realizar, precisam de seguir o seu curso normal da natureza.

Tiago 5:7,8 Embora o tema seja a vinda do Senhor, podemos fazer uma aplicação também sobre a oração.
Há coisas que só acontecem em filmes ou contos de fadas, em que um grão se transforma imediatamente numa árvore, ou uma criança num instante se torna homem, etc.
Deus muitas vezes (quase sempre) opera segundo o curso da natureza. Na natureza todo o crescimento é progressivo, passando pelas diversas fases. Assim é muitas vezes com respeito às respostas à oração e promessas que Deus nos faz.

Romanos 5:1-5 Paulo fala aqui de que a provação produz a perseverança, a perseverança a experiencia e a experiencia a esperança ( sem a provação, não se produzia a perseverança, a experiência e a esperança). Com isto o apóstolo diz-nos que a vida cristã está sujeita a um processo em que as coisas tem o seu tempo, em que muitas vezes se torna necessário passar por determinadas coisas.

Moisés é bem o exemplo disso. Sabemos todos muito bem que a sua vida se pode dividir em 3 fases de 40 anos.

Os primeiros 40 anos vivendo no Egito, sendo preparado em todo o conhecimento e sabedoria humana. A seguir, outros 40 anos vivendo no deserto pastoreando gado. De príncipe no Egito a pastor de gado, aprendendo a humildade e a submissão a confiança e dependência do Senhor.  Os últimos 40 anos servindo o Senhor liderando o Seu povo, levando-os através do deserto até à Terra prometida.

Se nós por vezes conseguimos esperar com paciência algo de um amigo insensível ou de um juiz iníquo, mais pacientes deveríamos ser quando esperamos algo do Senhor, porque sabemos que Ele é bom e justo.

Por isso, ainda que muitas vezes tudo pareça dizer-nos que Deus não nos ouve, ou não responde à nossa aflição, fiquemos firmes na fé, porque se a nossa fé é sincera e verdadeira, Deus não deixará de honrar a nossa fé, mesmo que seja de outra forma que não segundo o que lhe pedimos.

Lutemos em oração até à vitória final. Alguém disse que sem luta não há vitória.

Lembremo-nos de quando o Senhor Jesus estava na cruz, Ele clamou: “Deus meu, Deus meu, porque me desamparas-te”

Contudo Ele não obteve resposta ao Seu clamor, porque era necessário que Ele passasse por aquela provação.

Deus sabe e conhece todas as coisas, sabendo o que é bom e mau para nós. Acima daquilo que possamos estar a sentir ou sofrer, confiemos nos Senhor porque a seu tempo, Ele suprirá tudo e nos dará o que a nossa alma precisa.

Poderá por vezes não dar o que o nosso corpo precisa, mas com toda a certeza dará o que a nossa alma precisa. Confiemos no Senhor. Amén.
 
© 2007 Igreja Evangélica em Algeriz