powered_by.png, 1 kB
INÍCIO seta REFLEXÕES seta PARA QUE SEJAMOS UM
PARA QUE SEJAMOS UM PDF Imprimir e-mail

João 17:11 (Oração da unidade)

A oração de Jesus pela unidade de seus discípulos não foi nem um mandamento, nem uma exigência, mas uma invocação ao Pai na véspera da sua entrega na cruz.

Foi uma oração que brotou do mais profundo do seu coração e da sua missão, no momento exacto em que Ele preparava os seus discípulos para os tempos que aí vinham: “Pai, que eles sejam um”.

Muito podemos aprender com esta oração, feita num momento muito particular, em que a oposição estava a ponto de o capturar e a sombra da morte espreitava, e em vez de pedir por Ele, pediu por todos os outros, por seus discípulos, e pelos que criam Nele, inclusivamente orou por todos nós que cremos Nele.

No Evangelho de Lucas 11:5-13, Jesus diz-nos que “todo aquele que pede, recebe”. Assim, na oração dirigimo-nos a Deus para que Ele atenda as nossas necessidades.

Talvez a resposta não corresponda às nossas expectativas, mas Deus responde sempre.

O poder da oração é imenso, sobretudo quando está ligado ao serviço.

O Evangelho ensina-nos que Cristo quer que nos amemos e nos sirvamos uns aos outros.

Participamos, deste modo, no cumprimento do seu desígnio. Necessitamos continuamente que o Espírito Santo transforme os nossos corações, nos dê a graça de trabalhar com Deus, de participar na missão que Ele nos confia e no seu projecto de unidade.

O nosso Pai Celestial quer que sejamos unidos. No amor, essa união não é meramente ideal. É necessária.

É preciso que mais irmãos conheçam a alegria da oração, para contribuir com a obra de Deus.

JLO

 
© 2007 Igreja Evangélica em Algeriz